Vingança Mortal

Desde o começo da série é falado sobre o ‘passado obscuro’ de Roarke em Dubin e esse é o primeiro livro da série em que vamos conhecer um pouco dele, quem já está bem avançado na série sabe que vamos sabendo muito mais lá na frente mas esse é o primeiro e por isso figura na minha lista de “tops”!

O caso de Eve começa com um serial killer que aparentemente tem motivações religiosas, mas conforme ela descobre que todos as cenas dos crimes são imóveis do marido e as vitimas ligadas ao passado dele ela acaba descobrindo o quão perigoso ele realmente pode ser. Eve no desenvolver da história se coloca na mira do assassino no intuito de tirar a atenção dele de Roarke.

Nesse livro é que entra para a série um dos melhores personagens secundários da série o Detetive da Divisão Eletrônica Ian Mcnab, eu sou superfã de Ian e dei risada com ele e sua interação com Peabody desde o primeiro minuto!

Por falar em Peabody, o relacionamento da Policial e da Tenente está cada vez mais para amizade que superior e subordinada. Eu adoro a dinâmica entre Eve e Peabody, sou realmente fã de qualquer dupla que tenha Peabody como uma das pontas porque ela sempre rende ótimas risadas!

Traição Mortal

Não deixo como segredo para ninguém que meu personagem preferido de toda a série seja Roarke, digo ainda mais que foi por ele que eu fui em frente e cheguei ao livro quatro da série e ali sim me viciei e não podia mais parar a leitura. E dos livros que escolhi para a maratona todos tem a presença constante dele e isso os torna livros queridos.

O assassino da vez é um matador de aluguel que tem como MO espancar, estuprar e estrangular com um fio de prata suas vítimas, e ele não se prende a um sexo ou outro. Mas conforme as mortes vão acontecendo vamos percebendo que a escolha das vítimas não é aleatória e sim um ataque pessoal a Roarke.

Nesse livro pode parecer ‘repeteco’ tendo mais uma vez um caso da tenente se entrelaçando com sua vida pessoal, mas como sempre a autora consegue nos levar pelas páginas do livro como se nunca tivéssemos lido algo parecido, nos prendendo do inicio ao fim.

Reencontro Mortal

Esse livro assim como o anterior, Sedução Mortal (resenha na tag), você descobre o assassino logo no começo; o diferente é que Eve também sabe quem é a assassina e principalmente qual seu verdadeiro alvo: Roarke. Não eu não falei spoiler você encontra na contra capa do livro (lá fala quem a tenente mais ama e aí fica lógico), é bastante óbvio que o motivo de Dunne é vingança e está cometendo outros crimes para direcionar Eve no sentido errado e fazer com que pense que os crimes não são pessoais.

Eve como sempre não perde tempo e entende logo de cara que ela quer vingança e para isso vai atacar no que a tenente mais preza.

A tenente voltou a me irritar nesse livro, ela quer tudo do jeito dela. Deus do céu! Isso realmente me irrita, não Roarke faz o mesmo mas ele não me irrita; bom mas Eve me irritou menos nesse dois últimos volumes, acho que tive uma overdose já que li 12 volumes seguidos da série.

Nesse livro temos Peabody investigando seu primeiro caso, um caso arquivado. Eu adoro a policial e McNab e portanto senti falta do casal mais presente e com suas ‘tiradas’ sarcásticas e irônicas.

Não posso deixar de falar da ida de Eve a Dallas enfrentar seu passado, me deixou toda agoniada lendo tudo pelo que ela passou aos 8 anos; e reviver aquilo não só a destroçou como também a Roarke. Ahhh e é claro não posso esquecer que nesse livro eles comemoram 1 ano de casados e Roarke é sempre Roarke e não faria menos do que uma super romântica comemoração, tudo lembrando a noite um ano antes.

O livro num todo eu gostei, achei a mudança interessante; ao invés de correr contra o tempo para descobrir o assassino vemos a corrida contra o tempo para agarrar um que se conhece, e isso pode ser ainda mais complicado que descobrir quem é o psicopata. Mas o fim foi corrido, ela do nada vê, corre, explode, luta, cai, bate, prende (isso é óbvio também). Achei que o fim poderia ter sido melhor elaborado, simplesmente isso.